Bioinformática


A Bioinformática é uma área multidisciplinar que aplica conhecimentos da informática, matemática e física, na busca de soluções para questões biológicas oriundas de campos de pesquisa como Biologia Molecular e Bioquímica.

Cunhado por Paulien Hogeweg e Ben Hesper em 1978, o termo “bioinformática” era originalmente utilizado em estudos da biologia de ecossistemas e ecologia. Contudo, com desenvolvimento e aprimoramento das técnicas para análise de DNA, RNA e proteínas, sobretudo o sequencimento de ácidos nucleicos, uma maior quantidade de dados começou a ser gerada, e organizar, analisar e compreender esse crescente volume de dados demandava o uso de ferramentas computacionais nesse campo de pesquisa.

Através da bioinformática, vários métodos foram desenvolvidos para melhor compreensão dos processos moleculares que ocorrem nos organismos. Hoje os pesquisadores tem a sua disposição bancos de dados para armazenar um volume de informação nunca antes imaginado e algoritmos para manipular dados produzidos em larga escala através de técnicas como sequenciamento de última geração e espectometria de massa. Além disso, é necessário um corpo de técnicas estatísticas e computacionais que auxiliam na compreensão do grande volume de dados obtidos e que sejam capazes de fornecer maior poder explicativo dos processos biológicos⁠.

As aplicações da Bioinformática passam por várias áreas do conhecimento, tais como: montagem de genomasgenômica comparativaanálise de expressão gênicaredes de regulação gênicaestudo do metabolismoanálise da estrutura de macromoléculasdesenho de fármacos e biologia evolutiva. Além disso, ela está intimamente relacionada com dois novos campos de pesquisa de grande interesse em nosso laboratório: a biologia sistêmica e a biologia sintética.

Sendo uma área multidisciplinar, os grupos de pesquisa dentro da Bioinformática são compostos por pesquisadores familiarizados com os conceitos e métodos da biologia, bem como, capazes de compreender os métodos estatísticos essenciais para análise de dados e com conhecimento das ferramentas computacionais necessárias para tratamento das informações biológicas.

Literatura sugerida:
Hagen, J. B. (2000). The origins of bioinformatics. Nature Reviews Genetics

Hogeweg, P. (2011). The roots of bioinformatics in theoretical biology. PLoS Computational Biology

Copyright 2011 Bioinformática.
Joomla templates 1.7 free by Hostgator